Arquétipos do Líder

Arquétipos do Líder

 

O que são Arquétipos?

Arquétipo é uma espécie de “figura”, uma forma à qual os fenômenos tendem a se moldar. O psicanalista analítico Carl Jung usou o termo para referir-se às estruturas que servem de matriz para a expressão e desenvolvimento da psiquê [1].

Calma! Eu explico. Por exemplo, quando você pensa na pessoa mais sábia do mundo, cheia de bondade e de amor, mas também é sensata e justa. Que figura lhe vêm à cabeça? Aposto que foi um senhor idoso de barbas brancas. Outro exemplo, imagine a figura que expressa a pureza, ingenuidade, fragilidade e a dependência completa de outro. Imaginou um bebê? Essas figuras são os arquétipos.

Não quero ser tendencioso, os arquétipos variam de acordo com a cultura, a época, a formação de cada um. Alguns podem imaginar coisas diferentes, mas pense ao contrário, por mais que você não tenha pensado no senhor de barbas brancas, se ele fosse personagem de um livro, com poucas palavras você já incorporaria as características que citei, o mesmo serve para o bebê.

Os arquétipos nem sempre estão associados a pessoas ou coisas, também podem ser abstratos, como a clássica descrição bíblica do amor:

“…O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.” (1 Coríntios 13)

Para que servem os arquétipos?

Conhecê-los é fundamental se você deseja entender as crenças e valores da sociedade. Temos a involuntária tendência a agrupar e associar coisas, assim fazemos uns com uns outros e com tudo que nos cerca.

Entendendo melhor como as pessoas pensam, fica mais fácil influenciá-las (e aceitá-las também!). Por exemplo, já percebeu que nos identificamos mais com alguns “heróis” e menos com outros? Gostamos mais dos heróis que se acovardam inicialmente, que precisam de aliados para vencer, que passam por momentos de “quase desistência”, que enfrentam as lutas por necessidade e que ao final, tornam-se pessoas melhores [8]. Isso acontece porque nos identificamos com os personagens, e nós seres humanos, somos assim.

O que faz os seus olhos brilharem? Sentir-se corajoso, bem-sucedido, bondoso, inteligente? Que característica lhe causa mais orgulho? Garanto que é muito mais fácil descobrir através dos arquétipos que admira, são estes que regem sua vida.

Arquétipos do Líder

Quem são os líderes que você admira? Que características eles têm comum? Existem líderes mais relacionados às tarefas, outros às relações interpessoais. Alguns “fazem junto” e outros preferem comandar. A mesma pessoa pode assumir diferentes papéis conforme as circunstâncias.

arquetipos do lider

Moore e Gillete definiram os 4 principais arquétipos do masculino, que entendemos como os arquétipos de liderança, por serem características de dominação e não de gênero. São eles [2]:

  • Rei – É um líder nato, que lidera aonde chega. É sensato, racional, paciente e íntegro. Ele reina com justiça e tolera as deficiências dos mais fracos sabiamente.
  • Guerreiro – É perspicaz, hábil, audacioso. Trabalha com foco na tarefa, segue e dá ordens, não é sentimental.
  • Mago – É o guru, o mestre, aquele que resolve tudo (como que por mágica). É lógico, racional, transformador.
  • Amante – É carismático, afável e irradia confiança. Ele usa da persuasão para “seduzir” as pessoas a seguirem sua liderança.

Estes arquétipos possuem diversos paralelos na literatura, mas nenhuma correlação direta. Os 3 estilos básicos de liderança (Autocrático, Democrático e Laissez-faire) podem ser aplicáveis a qualquer dos arquétipos citados. O mesmo ocorre pelo prisma da Liderança situacional

Como usar os arquétipos na gestão de pessoas?

Primeiro, identifique-se. Que arquétipo mais se parece com você?

Observe como a equipe reage ao seu comportamento. Você pode utilizar diferentes arquétipos para diferentes pessoas ou situações. Para classificar personalidades pode utilizar modelos como: Dominância cerebral, MBTI, DISC etc.  E para classificar situações, pode-se tomar como guia a liderança situacional.

Os arquétipos nos ajudam a “materializar” nossas identificações e a projetar conceitos para os outros.  É uma forte ferramenta de pressão social, o que comentarei futuramente. Use com moderação!

Eli Rodrigues

Bibliografia

[1] Definição de arquétipo: http://www.clinicapsique.com/pdf/txt_arquetipo.pdf

[2] PRESTUPA, Adriana. A identificação de tipos de liderança a partir de arquétipos: http://www.elirodrigues.com/wp-content/uploads/2013/07/arquetipos-624-1866-1-PB.pdf

[3] Arquétipos do líder: http://www.face.ufmg.br/revista/index.php/gestaoesociedade/article/viewFile/624/571

[4] Arquétipos positivos e negativos do líder: http://pt.scribd.com/doc/35733647/Arquetipos

[5] Crise de identidade do homem: http://somostodosum.ig.com.br/clube/artigos.asp?id=19237

[6] Um retorno aos mitos: Campbell, Eliade e Jung: http://www.dhi.uem.br/gtreligiao/rbhr/um_retorno_aos_mitos.pdf

[7] Mitos e arquétipos do homem contemporâneo: http://www.jblibanio.com.br/modules/jornal/article.php?articleid=179

[8] CAMPBELL, Joseph. O herói de mil faces. Editora Pensamento. 2004: http://books.google.com.br/books/about/Her%C3%B3i_de_Mil_Faces_O.html?id=whnkPQ8GWNoC&redir_esc=y

Publicado por: Eli Rodrigues