Comparativo PMBOK x Scrum

Sempre houve muita polêmica entre os “partidários” do PMBOK e Scrum, muitos acreditam precisar optar, mas as diferenças começam no entendimento da natureza distinta, mas não excludente que os permeia. O PMBOK é um guia de boas práticas, dividido em grupos e processos [1], já o Scrum é um framework (estrutura) com cerimônias, artefatos e papéis definidos [2]. Como comparar um guia a uma estrutura?

Sendo uma estrutura, o Scrum permite adições e exclusões, desde que não interfiram em seus 3 princípios: Transparência, Inspeção e Adaptação [2]. Desse modo, pode-se dizer que tecnicamente seria possível adicionar processos adaptados do PMBOK ao Scrum, mas vale a pena?

O Scrum se adapta mais a projetos cujo escopo é mutável e/ou parcialmente desconhecido. No PMBOK não conhecer o escopo (ou pelo menos parte dele) inviabiliza o planejamento e assim, a execução do projeto. O Scrum aceita incertezas, trabalha com priorizações (valores de negócio) e ciclos curtos de entregas. O PMBOK trabalha com riscos, pode priorizar entregas (embora não comente sobre isso)  e fazer ciclos de entregas (planejamento em ondas sucessivas). Futuramente vou apresentar um processo híbrido, mas por hora, irei apenas fazer um comparativo entre PMBOK e Scrum.

Metodologia

Para realizar esta análise, tomei como linha de base o PMBOK, por possuir processos em maior granularidade que o Scrum, facilitando comparativos. Listei todos os processos, criei uma escala de 0 a 4 pontos (0 – Não atende e 4 – Atende completamente) demonstrando o grau de atendimento, pontuei o Scrum em relação a cada processo e adicionei comentários com o racional.

A quarta edição do PMBOK está estruturada em 5 grupos de processo, 9 áreas de conhecimento (ou disciplinas) e 42 processos. Na metodologia utilizada, cada processo vale até 4 pontos, deste modo, o total possível de pontos é de 168 (4 pontos x 42 processos).

Obs: A análise foi subjetiva e pessoal, é passível  de discussão e por isso disponibilizei a planilha para download, caso alguém deseje complementar o estudo.

Resultados

De acordo com a análise realizada, o Scrum atende a 42% dos processos do PMBOK (somando 70 dos 168 pontos). A Figura1 apresenta o atendimento percentual de cada uma das nove Área de Conhecimento, ficando clara a ausência de processos para tratativa de Custos, Riscos e Aquisições no Scrum e a forte ênfase em Integração, Escopo, Tempo e Recursos Humanos.

Figura1 – Mapeamento dos processos do PMBOK versus Scrum

Para a área de Riscos foi considerado 1 ponto, referente ao “Mapeamento de Impedimentos” (prática diária de responsabilidade do Scrum Master), pois se a equipe levantar os impedimentos com antecedência, pode-se evitar problemas, uma forma “primitiva” de gerenciamento de riscos. No entanto, acredito que certas características do Scrum previnem problemas comuns e isso seria uma forma de gerenciamento de riscos (I.E. Sprints com tempo pré-definido, revisões de entregas, reuniões de retrospectiva, ter um SPOC*, ter um plano de comunicação etc).

*SPOC = Single Point of Contact

Figura2 – Atendimento do Scrum aos grupos de processo do PMBOK

A Figura2 apresenta o atendimento por grupos de processo e mostra claramente a preocupação do Scrum com Planejamento, Monitoramento e Controle e Execução, deixando fora do escopo do framework os grupos de Iniciação e Encerramento. Ainda assim, considerou-se a “Definição da Visão do Projeto”  como o equivalente ao “Desenvolver o Termo de abertura” (4.1) , pontuando-se com 1 ponto (de um total de 4). Para o “Encerrar o projeto ou fase” (4.6), foram considerados 2 pontos, pois o Scrum controla o andamento do projeto, o encerramento de cada fase e as lições aprendidas, embora não determine em detalhes como encerrar um projeto (resolver pendencias, encerrar contratos, registro de questões etc).

Figura3 – Atendimento do Scrum por áreas de conhecimento do PMBOK

E finalmente, na Figura3 pode-se ver que das 5 áreas que possuem maior número de processos no PMBOK (Integração, Tempo, Riscos, Escopo e Comunicação), 4 também são priorizadas pelo Scrum, tendo como única exceção a área de riscos.

Conclusão

O Scrum que originalmente era exclusivo do desenvolvimento de software, atualmente tem sido aplicado em diversas áreas como: Recursos Humanos, Finanças, Publicidade, Traduções de textos e ainda pode ser aplicado em muitas outras, que requerem menos formalidade e possuam o ambiente propício. Ainda assim, seus “redatores” tem se preocupado em tornar o framework cada vez mais simples e adaptável, caminho inverso do PMBOK.

Se me permitem uma sugestão, sugiro que o Scrum adote práticas de Gerenciamento de Riscos e não apenas impedimentos e lições aprendidas, estando assim alinhado aos grupos de processos mais significativos (com maior número de processos) do PMBOK, ou seja, cobrindo a maior parte das necessidades de um projeto.

Espero ter ajudado!

Eli Rodrigues

Bibliografia

[1] Introdução a Gestão de Projetos – 

[2] Scrum Guide –

[3] Sopa de letrinhas da Gestão de Projetos – https://www.elirodrigues.com/2015/10/13/sopa-de-letrinhas-do-gerenciamento-de-projetos/

Publicado por: Eli Rodrigues

There are 11 comments for this article
  1. Rodrigo Valentim at 04:40

    Olá Eli,

    Parabéns pelo artigo. Acredito também (falando no contexto de desenvolvimento de software) que a adoção comum de algumas práticas de XP (extreme progremming) ajudam a tornar o Scrum um “pouco” mais aderente ao pmbok em em termos de quality management.

    Muito bom seu blog, parabéns pelo trabalho.

    • Eli Rodrigues at 11:57

      Oi Rodrigo,
      Obrigado pela visita e comentário.
      Vou dar uma olhada nos gaps que o XP consegue preencher, seria bastante útil cobrir mais algumas áreas do PMBOK usando métodos ágeis, pois daria consistência e agilidade.
      Infelizmente tem mtas empresa fechando os olhos para os gaps e enchendo os projetos de premissas (usando métodos ágeis ou não), o que no final, gera produtos que não atendem as expectativas dos clientes ou furam em prazo, custo, qualidade.
      Entendo que cabe a nós, profissionais de gestão de projetos, ajudá-las a entender melhor o terreno onde estão pisando, apresentando boas práticas, problemas comuns e lições aprendidas.
      abs
      Eli

  2. aclebsonsilva at 11:43

    Excelente artigo, mas ainda tenho uma dúvida em relação ao uso dos Pontos em cada atividade do Sprint no Scrum. Qual matriz ou comparativo posso usar entre Pontos x Horas de trabalho?

    Abraço

    • Eli Rodrigues at 14:26

      oi Aclebson,
      Vou escrever um artigo sobre isso, mas por enquanto entenda o seguinte:

      No Scrum, as horas de trabalho são fixas representadas pelo tempo do Sprint, os pontos é que variam dentro do tempo, por isso não precisa converter. A pergunta que você deve se fazer é quantos pontos consegue fazer em 1 sprint. É esse o controle de produtividade que irá usar.

      Da mesma forma é altamente recomendável que você use escalas não-lineares, como Fibonacci. Para evitar que as pessoas tentem fazer a conversão em horas. Os números são comparativos, ordens de grandeza (do esforço de implementação) e não horas.

      Escreverei mais detalhes sobre isso.
      abs
      Eli

      • aclebsonsilva at 15:57

        oi Eli,

        Já participei de projetos onde o framework Scrum era utilizado como metodologia ágil, mas sempre tendo alguns pontos do PMI adaptados. Agora estou coordenado um projeto novo e me deram carta branca pra escolher qual metodologia, e claro escolhi o Scrum. Agora que estou iniciando o projeto e também apresentado o Scrum para uma equipe nova vieram algumas dúvidas, no planning poker pra mim era muito fácil e intuitivo atribuir os pontos, mas agora pra explicar eu achei melhor buscar mais conteúdo. Entendi seus pontos e encontrei alguns artigos onde a abordagem era parecida, observe este artigo:

        A abordagem é muito parecida com o que você descreveu, e encontrar uma pontuação p/ usar como parâmetro é realmente uma ótima maneira de iniciar o projeto, com o passar dos sprints e equipe vai pegando o jeito.

        Muito obrigado pela pronta resposta.
        Att.
        Aclébson Silva

  3. Nilton Garcia at 22:59

    Parabéns pela idéia! Muito interessante!

  4. Mardonio at 19:13

    Olá eli,

    estou escrevendo um artigo sobre escopo, e fazendo a comparação entre as metodologias PMBOOK x SCRUM, mas somente sobre escopo tenho muita dificuldade de entendimento sobre o processo no SCRUM, se puder me indicar algum livro ou até mesmo me da algumas dicas sobre o que procurar para ter o melhor entendimento.

    Desde já agradeço.

    • Eli Rodrigues, PMP, CSM Author at 12:06

      Oi Mardonio,

      Já viu os livros do Fábio Cruz (www.fabiocruz.com)?

      Ele tem uns 3 livros que fazem comparativos do PMBOK e Scrum que são um sucesso de vendas.

      Dá uma olhada.

      Eli

      • Mardonio at 12:34

        Obrigado!

        Ainda não tinha visto os livros dele.