Antes de começar, sugiro a leitura de: Introdução a Gestão de Projetos


A Estrutura Analítica de Projeto (EAP) ou no inglês Work Breakdown structure (WBS),é uma ferramenta visual que permite a estruturação de um projeto de forma simples e contém todo o trabalho necessário para conclusão do projeto. Ela se parece com um “organograma empresarial”, mas seu objetivo é identificar que partes compõe um projeto.

A EAP normalmente é concebida após o Termo de Abertura do projeto, na fase de Planejamento. Pode ser incluída na Declaração de Escopo.

Para que serve

Suas principais utilidades são:

  • Delimitar e elicitar  o Escopo do Projeto;
  • Facilitar a Identificação das Fases do projeto;
  • Facilitar a Identificação dos responsáveis;
  • Orientar a identificação e descrição detalhada das Entregas do projeto;
  • Identificar as atividades do projeto;
  • Facilitar a Estimativa de Esforço, Duração e Custo;
  • Facilitar  a Identificação de Riscos.

A EAP pode seguir uma numeração identada (Figura 1). Serve para facilitar a organização dos pacotes de trabalho, que serão descritos na fase seguinte (antes do cronograma) e facilita a “rastreabilidade” de um pacote de trabalho no cronograma.

Figura 1 – Numeração identada

A EAP pode ser construída de diversas formas conforme o propósito e tipo de projeto. As formas mais comuns de montagem da EAP são: Por Fases, Por Entregas e Por Equipes. Abaixo são apresentados exemplos de EAPs em cada uma das formas.

EAP por Fases

Organiza fases no primeiro nível e eventualmente no segundo nível também.

Figura 2 – EAP por Fases

Vantagens:

  • Oferece uma visão “cronológica” dos acontecimentos no projeto;
  • Facilita o entendimento de pessoas leigas;
  • Facilita o posterior gerenciamento das atividades.

Desvantagens:

  • Pode ofuscar a visão das partes necessárias para uma entrega específica;
  • Tende a incentivar que se incluam atividades administrativas (ex: Controle do projeto)

EAP por Entregas

Mostra as partes necessárias para compor as entregas do projeto.

Figura 3 – EAP por entregas

Vantagens:

  • Visualiza claramente as partes que compõe o projeto;
  • Facilita a discussão de soluções técnicas e caminhos alternativos;
  • Facilita identificação de riscos técnicos;

Desvantagens:

  • Não oferece visão cronológica

Por Equipes

Visualiza os pacotes de trabalho a partir da divisão de Equipes do Projeto.

Figura 4 – EAP por Equipes

Vantagens:

  • Ótima para ocasiões em que o projeto tem equipes com responsabilidades muito diferentes.

Desvantagens:

  • Não mostra cronologia nem a organização das partes das entregas.

Próximos passos

Após definir o primeiro nível da EAP, você deve detalhar até encontrar os pacotes de trabalho. Não existe limite de quantidade de níveis, use quantos precisar, observando a regra dos 8/80*.

Em seguida você irá para a definição da “lista de atividades”,  “estimativas” e “cronograma”. Veja um exemplo do passo a passo no post “Como gerenciar um projeto – Case Rock in Sumaré“.

* Regra dos 8/80: Os pacotes de trabalho não devem ser menores que 8 horas, nem maiores que 80, use essa regra como métrica.

Se, após verificar os exemplos, você sentir necessidade de um apoio especializado, consulte meus portfólios de treinamentos e consultoria.

 

Eli Rodrigues

Mais exemplos de EAPs: